Portal Sal da Terra

Coluna/Opinião

Um pedido com sabedoria e humildade

Um leproso aproximou-se de Jesus e fez-lhe um pedido que tem muito a nos ensinar, sobre a forma de pedir algo

Um pedido com sabedoria e humildade
Luteranos
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

“E aproximou-se dele [Jesus] um leproso, que, rogando-lhe e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres, bem podes limpar-me.” (Marcos 1.40).

O Evangelho segundo Marcos começa falando do ministério de Jesus já na idade adulta, diferente de Mateus e Lucas, que registram o seu nascimento e infância. No capítulo 1, Marcos faz uma breve descrição da mensagem de João Batista. Em seguida relata o início do Ministério de Jesus, após a prisão de João, com a vocação dos primeiros apóstolos e alguns milagres, como a cura da sogra de Pedro, a cura de um paralítico, muitas outras curas anônimas e expulsão de demônios. 

Neste contexto, um leproso aproximou-se de Jesus e fez-lhe um pedido emocionante. Este pedido tem muito a nos ensinar, sobre a forma de pedirmos alguma coisa ao Senhor: 

  1. O leproso aproximou-se de Jesus. O leproso reconheceu que Jesus podia curá-lo e se aproximou dEle. A lepra, além de ser uma doença terrível e contagiosa, era considerada uma maldição e castigo divino. Os leprosos ficavam totalmente isolados do convívio social. Em situações desesperadoras, o melhor a fazer é buscar ajuda em Jesus, pois Ele pode nos socorrer.
  1. O leproso veio a Jesus da forma que estava. Muitas pessoas pensam em resolver os seus problemas antes de vir a Cristo. Estão presos a vários tipos de pecado e esperam "arrumar as coisas primeiro". Mas este leproso veio a Cristo da forma que estava, enfrentando todos os tipos de preconceito e humilhações. 
  1. O leproso “rogou” a Jesus. Em nossos dias, muitos oram de forma arrogante, querendo dar ordens a Deus, exigir ou determinar o que Ele deve fazer. Este leproso, no entanto, rogou a Jesus. Rogar tem o sentido de implorar, pedir com súplica e insistência.
  1. O leproso reconheceu a divindade de Jesus. Ele "prostrou-se" diante de Jesus. A palavra prostrar, no grego eu proskyneo e tem o sentido de ajoelhar-se, ou prostrar-se diante de um lá divindade, em adoração. O centurião fez isso diante de Pedro, mas ele não aceitou: E aconteceu que, entrando Pedro, saiu Cornélio a recebê-lo e, prostrando-se a seus pés, o adorou. Mas Pedro o levantou, dizendo: Levanta-te, que eu também sou homem.” (Atos 10.25,26). João fez isso diante de um anjo e ele também recusou: “E eu, João, sou aquele que vi e ouvi estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava para o adorar. E disse-me: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.” (Apocalipse 22.8,9) Mas Jesus, sendo Deus, é digno de adoração e nunca recusou: “Quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram.” (Mateus 28.16). Quando orarmos devemos chegar diante de Deus em adoração, reconhecendo a nossa insignificância e que Ele é o Senhor.
  1. O leproso reconheceu a soberania divina. O leproso falou para Jesus que, "se Ele quisesse, poderia purificá-lo da lepra". Deus é soberano e faz o que Ele quer. Não podemos dar ordens a Ele ou dizer o que Ele deve fazer. A Vontade de Deus é boa, agradável e perfeita (Romanos 12.2). Jesus nos ensinou a orar dizendo: Portanto, vós orareis assim:Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome. Venha o teu Reino.Seja feita a tua vontade, tanto na terra como no céu. (Mateus 6.9,10). 
Comentários:

Veja também