Portal Sal da Terra

Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2023

Notícias Política

Senador Carlos Viana diz que frente evangélica no congresso pode obstruir pauta nas casas legislativas em protesto às falas de Lula contra Israel

Senador Carlos Viana diz que frente evangélica no congresso pode obstruir pauta nas casas legislativas em protesto às falas de Lula contra Israel
Reprodução
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Senador Carlos Viana (PODE-MG) e a Frente Parlamentar Evangélica manifestaram um posicionamento firme em relação às declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre Israel. O senador destacou que a bancada evangélica no Congresso Nacional está estudando a possibilidade de obstruir a pauta das casas legislativas como forma de protesto contra as posições do ex-presidente. O senador disse que tem posição independente, mas tem que ser corajoso na defesa do que acredita.

De acordo com o senador, a declaração de Lula que afirmou que o Estado de Israel pratica atos de terrorismo no combate ao Hamas, durante um pronunciamento no último dia 14, despertou a insatisfação da Frente Parlamentar Evangélica, que representa 235 parlamentares, entre deputados e senadores.

"Nós temos nossos posicionamentos muito bem definidos, sendo um deles a defesa de Israel. Estamos emitindo uma nota conjunta de repúdio e não descartamos a possibilidade de iniciar uma obstrução nas duas casas legislativas para deixar claro nosso descontentamento com o discurso do presidente", afirmou o senador à Gazeta do Povo. Veja nota:

 

 

A Frente Parlamentar Evangélica é um grupo representativo no Congresso Nacional que busca defender os interesses e valores dos parlamentares evangélicos, que inclui a defesa do Estado de Israel. A manifestação do senador Carlos Viana e da frente parlamentar reflete a preocupação com as declarações de Lula e o impacto que elas podem causar nas relações entre Brasil e Israel, além de gerar insatisfação entre os evangélicos brasileiros.

FONTE/CRÉDITOS: Terra Brasil Notícias

Veja também